Home > Experiência Ford > Ford Blog > Sabe que automóvel híbrido escolher? PHEV, MHEV ou HEV?
A woman charging red Ford Kuga

Março 29, 2021

Sabe que automóvel híbrido escolher? PHEV, MHEV ou HEV?

O carro híbrido é um dos principais protagonistas do mercado atual. Contudo, ter de optar por um dos três tipos de tecnologia disponíveis não é uma escolha fácil para o cliente: PHEV, MHEV ou HEV? Contamos-lhe aqui as diferenças que há entre cada uma das opções e como poderá escolher em função das suas circunstâncias.

A eletrificação da indústria automóvel é um facto cada vez mais presente entre nós. No entanto, se ainda não quer optar por um carro completamente elétrico, tem à disposição os modelos híbridos. Estes podem ser considerados um passo intermédio, oferecendo o melhor de um motor térmico e ao mesmo tempo serem alimentados por baterias. Dito assim, parece uma escolha simples, mas quando o cliente chega ao concessionário é confrontado com três opções híbridas que nem sempre é capaz de diferenciar. Quais são as diferenças entre as opções disponíveis? Qual a que deve escolher? Explicamos-lhe tudo.

PHEV: o híbrido plug-in

O carro híbrido plug-in, também designado por PHEV, tem um motor elétrico que dá apoio ao motor térmico e a bateria pode ser recarregada ligando o veículo a uma fonte de energia. É no tamanho da bateria que se encontra uma das grandes diferenças destes veículos em relação a outros tipos de híbridos. Nestes modelos, a bateria é muito maior, permitindo que se faça um maior número de quilómetros em modo elétrico.

MHEV: o carro híbrido suave

O carro híbrido MHEV, ou híbrido suave, tem um gerador elétrico cuja missão é reduzir as exigências do motor térmico. Neste caso, o gerador elétrico não é capaz de fazer mover o veículo por si só, mas é responsável por fornecer um pouco mais de potência e binário, fazendo funcionar alguns sistemas (permitindo que o motor principal funcione mais suavemente) e, acima de tudo, reduzindo o consumo e as emissões.

HEV: o híbrido elétrico

O carro híbrido elétrico é o ponto intermédio entre as duas opções anteriores. Os HEV têm um motor alimentado por baterias de menor capacidade do que no caso de um híbrido plug-in, mas o motor do HEV também é capaz de mover o veículo por si só durante um curto período de tempo. Graças a esta situação e às maiores interações com a parte térmica, quando comparado com o MHEV, a poupança de combustível e de emissões é maior do que na opção MHEV. A bateria dos veículos HEV é recarregada em movimento através do sistema de travagem regenerativa, não tendo a opção de ligar o carro a uma fonte de energia como acontece com os PHEVs.

Que carro híbrido é recomendado para cada caso?

Chegados aqui, a pergunta de um milhão de dólares é saber qual a melhor opção para cada cliente. A resposta depende diretamente da forma como o veículo vai ser utilizado. Se vive no centro de uma cidade, com restrições à circulação, e o uso do carro será feito principalmente em contexto urbano, o PHEV é uma boa escolha. O custo extra inicial será compensado pouco a pouco com a utilização do carro, uma vez que é possível fazer viagens diárias só com o motor elétrico e esta "alimentação elétrica" é mais barata do que a de uma propulsão térmica.

Se a utilização urbana do carro for elevada, mas não alcançar os extremos do caso anterior, é melhor optar por um HEV. A poupança de combustível em contexto urbano ainda será interessante e o custo inicial será mais baixo.

Finalmente, temos os carros híbridos MHEV. Embora também sejam uma excelente escolha para um uso urbano, na verdade, são uma compra mais lógica do que as duas anteriores para quem precisa de fazer muitos quilómetros por dia na estrada. A poupança de combustível dos modelos MHEV é notável, sobretudo quando comparados a modelos semelhantes com apenas um motor de combustão, e a fatura a pagar no momento da compra é muito semelhante a estes, além de ser mais barato do que as opções anteriores.

Top