Home > Experiência Ford > Ford Blog > Ford Explorer Híbrido: resistente como os cabos da Golden Gate
Ford Explorer na floresta

24 Janeiro, 2020

Ford Explorer Híbrido: resistente como os cabos da Golden Gate

Um novo modelo da Ford obteve a classificação máxima em segurança atribuída pelo organismo independente Euro NCAP. O Explorer Plug-in conseguiu cinco estrelas graças à sua tecnologia de redução de colisões e a certos componentes muito especiais. Estes veículos são mais resistentes do que os cabos usados nas pontes suspensas mundialmente conhecidas...

Os veículos elétricos da Ford também já podem exibir o selo “segurança cinco estrelas”. O novo Explorer Plug-in Hybrid  alcançou a pontuação máxima atribuída pelo organismo independente Euro NCAP na sequência dos testes feitos ao modelo nas provas de colisão.

Este SUV da Ford aumentou a proteção oferecida ao condutor, aos passageiros e a outros utilizadores da estrada graças a um processo pioneiro no sector e patenteado pela marca. A técnica, chamada 3D Roll and Sweep, desenvolveu componentes em aço de resistência ultraelevada nos pilares e nas linhas do teto do para-brisas, criando uma célula de segurança muito sólida. Para que faça uma ideia, o material foi tão endurecido que os orifícios de fixação têm de ser cortados com laser. A sua resistência à tração é mais forte do que os principais cabos da famosa Golden Gate de São Francisco.

Por outro lado, a tecnologia baseada em sensores concebidos para prevenir ou mitigar os efeitos das colisões também influiu na excelente classificação obtida pelo Explorer Híbrido. É o primeiro veículo elétrico da Ford a receber cinco estrelas após a estreia dos novos e exigentes protocolos de segurança da Euro NCAP.

Passageiros, peões e ciclistas mais seguros

Assistência à pré-colisão com deteção de peões e ciclistas, Limitador de Velocidade Inteligente, Assistência à Manutenção em Faixa... Todas estas ajudas ao condutor também contribuíram para que o Explorer Plug-in Hybrid obtivesse a máxima pontuação nas provas de choque.

“Os sistema de travagem de emergência autónomo de série (Assistência à pré-colisão) funcionou bem nos testes a baixa velocidade, típica na circulação na cidade, onde se podem produzir lesões por chicotada cervical e evitou-se ou foram atenuados os efeitos das colisões em todos os cenários de prova”, salienta o relatório da Euro NCAP.

Também ajudou a este bom resultado a tecnologia Reverse Brake Assist, que acaba de ser estreada na Europa. Esta tecnologia usa sensores de radar e ultrassónicos para detetar um objeto na trajetória do veículo quando estamos em marcha-atrás entre os 1,5 e 12 km/h. Se o referido objeto medir mais de 28 cm de altura e 7,5 de largura, os travões são ativados automaticamente para evitar o golpe. Este sistema para o veículo durante 1,5 segundos antes de devolver o controlo total ao condutor, o que permite avaliar a situação e, depois, seguir com a manobra.

Top