Home > Experiência Ford > Ford Blog > Cidades com ar mais limpo graças à tecnologia blockchain
Ford Transit Custom parked in city

Dezembro 15, 2020

Cidades com ar mais limpo graças à tecnologia blockchain

Geofencing? Blockchain? Não, não é a última tendência no ginásio, mas o nome das tecnologias que a Ford utiliza para os seus veículos fazerem mais quilómetros "verdes".

Cidades com ar mais limpo graças à tecnologia blockchain

Talvez já soubesse que os veículos híbridos plug-in da Ford estão a fazer testes piloto na Europa, em Londres e Valência. Bem, agora estes testes estão a ser alargados a Colónia, na Alemanha, para que a análise dos quilómetros percorridos possa ser melhorada e os benefícios ambientais reais destes modelos possam ser demonstrados num ambiente de condução real.

Já existem nove Ford Transit Custom Plug-In Hybrid e uma Tourneo Custom também PHEV em movimento; as suas marcas são registadas por tecnologias de geofencing e blockchain. A empresa está a investigar como estas tecnologias ajudam a seguir estes veículos comerciais com a máxima precisão para aumentar o seu número de "quilometragem verde".

A fronteira virtual e a segurança de dados

Por toda a Europa, estão a ser introduzidas nas cidades zonas de baixas emissões: a fim de resolver problemas de qualidade do ar, os carros mais poluentes são penalizados por passarem nestas zonas. Contudo, a sua implementação e administração apresentam dificuldades (juntamente com a necessidade de os condutores compreenderem onde e quando se aplicam as restrições). É precisamente aqui que o programa piloto da Ford, com blockchain e geofencing, pode ajudar.

 

  • Blockchain: esta tecnologia de segurança de dados cria uma série de registos permanentes que são armazenados em vários computadores. Permite o rastreio e o registo das emissões dos veículos sem hipótese de manipulações dos valores.

  • Geofencing: estabelece uma fronteira geográfica virtual definida através de GPS. Este módulo estará disponível a partir da primavera de 2020 e pode ser instalado em veículos anteriores a essa data: passará automaticamente para o modo de condução com emissões zero quando o modelo entrar numa área restrita. Por enquanto, funcionará sem a tecnologia blockchain, mas continuará a garantir que as empresas possam cumprir a regulamentação existente e evitar multas.

Cada um dos dez veículos em testes, em Colónia, irá circular pela cidade durante 12 meses. Todos incluem o modem celular FordPass Connect a bordo, bem como um dispositivo plug-in que permite a geolocalização e blockchain.

Quando uma Transit ou Tourneo entra numa área controlada, o seu modo de condução elétrica é ativado e o tempo de entrada na zona, bem como os quilómetros percorridos sem emissões são registados. Os dados ficam guardados num diário de bordo distribuído com segurança (ou seja, uma cadeia de blocos - blockchain) para garantir que são armazenados e partilhados de forma fiável entre os envolvidos, incluindo autoridades municipais e proprietários de veículos comerciais ou frotas.

A tecnologia dinâmica de geofencing também permite que os modelos se adaptem em tempo real a mudanças nas zonas restritas. Por exemplo, as cidades podem escolher no futuro ajustar as áreas controladas ou criar novas zonas em função das condições meteorológicas ou ambientais. Assim, os veículos PHEV conectados passarão automaticamente para o modo de baixas emissões quando entrarem nestas zonas atualizadas.

Top