Home > Experiência Ford > Ford Blog > Assim vão comunicar os carros autónomos da Ford com os peões
Assim vão comunicar os carros autónomos da Ford com os peões

novembro 30, 2020

Assim vão comunicar os carros autónomos da Ford com os peões

A chegada de carros autónomos pode causar dilemas quando têm de comunicar com os peões. Como poderão fazê-lo? A Ford já está a trabalhar num sistema para tornar estes veículos o mais seguros possível nesta área


Vamos a andar pela rua, paramos antes de atravessar numa passadeira e, antes de o fazermos, procuramos um gesto do condutor para avisar-nos que não vamos correr perigo. Quantas vezes por semana nos deparamos com uma situação semelhante? Muitas, certo? Mas com a chegada dos carros autónomos, isto vai mudar. Por este motivo, a Ford está a trabalhar numa tecnologia que permitirá a este tipo de veículos comunicar com os peões e diminuir-lhes qualquer insegurança.


A teoria do sistema é bastante simples. Os veículos autónomos têm instalada uma série de luzes visíveis do exterior que lhes permitem comunicar os próximos movimentos do veículo aos peões, ciclistas e outros condutores. Este dispositivo que a Ford está a desenvolver é acompanhado por uma série de câmaras sofisticadas e um sistema GPS para antecipar a manobra que vai ser realizada.

A barra luminosa é uma solução que fornece Lumileds 3D LED e ocupa toda a largura do para-brisas frontal. Quando o carro autónomo está em movimento, sem um condutor para o controlar, estas luzes estão apagadas em toda a superfície, e quando o veículo está prestes a arrancar, há um efeito de flash na parte central. Por outro lado, se o veículo pretende deixar alguém passar, a luz vai mover-se de um lado para o outro.

Durante os testes, realizados na Alemanha (este projeto é financiado pelo Ministério Alemão dos Transportes e Infraestruturas Digitais, BMVI), os investigadores arranjaram um carro com tecnologia autónoma e um condutor sentado ao volante, por segurança. Num parque de estacionamento, comprovaram como o veículo conseguiu parar quando dois peões o cruzaram a meio de uma manobra de estacionamento. As luzes brancas e azuis permitiram aos transeuntes ver, imediatamente, qual o passo seguinte.

Desde muito cedo, as crianças aprendem o significado dos sinais de trânsito. Acreditamos que algo muito semelhante pode ser aplicado a um sistema de luzes autónomas para automóveis. Precisamos de criar padrões que sejam fáceis de aprender e intuitivos. Queremos estabelecer um conjunto de significados universais para a comunicação visual entre automóveis autónomos e outros utentes da estrada", disse Stefan Wolter, engenheiro de desenvolvimento do Centro de Investigação e Inovação em Aachen, na Alemanha.

Top